A cultura que menos utiliza agrotóxicos

Lavouras de tabaco levam apenas 1,1 quilo de ingrediente ativo por hectare

Seguidamente, a população brasileira recebe informações equivocadas ligando a cultura do tabaco ao uso de agrotóxicos em grande quantidade. Mas, os empreendedores do campo que trabalham diariamente na cultura do tabaco sabem que as informações não são verdadeiras, pois os produtos químicos são aplicados em pequenas quantidades. Além da conscientização dos produtores sobre a responsabilidade no uso de agrotóxicos, as equipes de campo das indústrias fazem o acompanhamento para prevenir a aplicação inadequada e garantir que sejam usadas apenas as quantidades realmente necessárias para o bom desenvolvimento das plantas.

Atualmente apenas 1,1 quilo de ingrediente ativo é usado por hectare de lavoura de tabaco. Esse índice é comprovado por instituições de pesquisa públicas e privadas, como a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (ESALQ-USP) e a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (ÚNICA) e em dados do Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (SINDAG) e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

As estatísticas mostram também que o tabaco é a cultura comercial do Brasil que menos utiliza agrotóxicos, condição alcançada graças aos intensivos investimentos das indústrias do setor em pesquisas e desenvolvimento de produtos mais eficientes e com menos impactos ambientais. Nos últimos 20 anos, a produção de tabaco apresentou uma redução de 83,3% no uso de ingredientes ativos usados na plantação, chegando ao atual índice de apenas 1,1 quilo por hectare.

Além do desenvolvimento do defensivos agrícolas menos agressivos e mais eficientes, a diminuição da necessidade de uso de agrotóxicos se deve às modernas técnicas como o plantio direto e a alternância da produção de tabaco com milho e feijão. Outra prática em favor da redução no uso de químicos nas lavouras de tabaco é a aplicação do Manejo Integrado de Pragas e Doenças (MIP).

Veja o estudo da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz em:
http://www.sinditabaco.com.br/site/wp-content/uploads/2019/10/Esalq-Relat%C3%B3rio-Demanda-Relativa_Souza-Cruz-final.pdf