Instituto Crescer Legal forma mais 122 jovens em empreendedorismo e gestão rural

14 . DEZ . 2021 Releases

Dezembro 2021 – Ocorreu nesta terça-feira, 14 de dezembro, a formatura do curso complementar de “Empreendedorismo em Agricultura Polivalente – Gestão Rural”, do Programa de Aprendizagem Profissional Rural do Instituto Crescer Legal de 2021. Receberam seus certificados 122 jovens aprendizes das turmas sediadas nos municípios gaúchos de Boqueirão do Leão, Santa Cruz do Sul, Herveiras, Sinimbu, Passo do Sobrado, Cerro Branco e Canguçu.

O evento, realizado no Parque da Expoagro, em Rincão Del Rey, Rio Pardo (RS), teve a presença da banda do 7º Batalhão de Infantaria Blindado (BIB) e contou com a participação de diversas autoridades e representantes de segmentos ligados à educação e ao combate ao trabalho infantil. O anfitrião Iro Schünke, diretor presidente do Instituto Crescer Legal, e a madrinha das turmas, a socióloga, advogada e doutora em Direito, Ana Paula Motta Costa, fizeram a entrega dos certificados.

Na ocasião, o prefeito de Canguçu, Vinícius Pegoraro disse que viu municípios se transformarem através da presença da cadeia produtiva do tabaco. “Muitos depreciam, mas nós sabemos da pujança econômica proporcionada pelo setor, do cuidado com o meio ambiente e do que é feito para que os jovens tenham oportunidade”, disse. Ao falar sobre a presença do Instituto Crescer Legal em Canguçu, Pegoraro lembrou das opções de futuro proporcionadas aos jovens, que são contratados como aprendizes para fazerem o curso de gestão rural. “A transformação passa pela educação e o Instituto está comprometido em preparar os jovens que quiserem empreender no meio rural”, acrescentou.

Após a entrega dos certificados, a madrinha das turmas de formandos, Ana Paula Motta Costa, disse ter recebido a homenagem como reconhecimento do trabalho de toda a equipe. “Desde o começo, o Instituto Crescer Legal foi construído por muitas mãos. Na proposta que a gente construiu, pensamos em alternativas de combate ao trabalho infantil, em dar oportunidades aos adolescentes do campo, vimos alternativas de contratação de aprendizes através das empresas do setor do tabaco”, explicou. “Também construímos com muitas mãos o projeto de aprendizagem, de que os jovens conheceriam suas propriedades, suas localidades, os parceiros locais e o final do curso, quando os jovens construiriam seus projetos”, contou.

A madrinha das turmas lembrou também dos valores que norteiam o trabalho junto aos aprendizes. “O primeiro deles é o valor do vínculo, essencial para o trabalho junto aos jovens”, disse, lembrando que toda a equipe está envolvida em estabelecer vínculos com os adolescentes do Programa de Aprendizagem. “E outro valor importante é o de acreditar nos jovens, acreditar no potencial de cada um”, salientou. “Sempre esteve presente em nós a ideia de que os jovens façam suas escolhas a partir das sementes plantadas no Crescer Legal, mas que sejam escolhas dos próprios jovens”, finalizou Ana Paula.

E Iro Schünke contou aos formandos que já foi jovem rural. “Vejo em vocês um pouco do meu passado, com condições piores do que as de vocês, sem energia elétrica e tendo que andar alguns quilômetros para chegar na escola”, lembrou. Ao contar a Parábola da Porta Estreita – pela qual a escolha pela porta estreita tinha um caminho cheio de limitações e responsabilidades, mas era possível alcançar o Céu, e a porta larga tinha um caminho sem responsabilidade e de prazeres, mas não era possível chegar ao Céu – ele disse que os formandos optaram pela porta estreita e, por isso, têm grandes chances de chegarem ao sucesso. “Vocês, ao estarem estudando, fazerem o Programa de Aprendizagem, conviverem bem com suas famílias, estão trilhando o caminho mais estreito. Espero que continuem por esse caminho, estudando, lendo muito, aprendendo, pois assim terão muitas chances de terem sucesso, seja lá no campo ou em qualquer outra profissão que tenham em mente”, salientou.

Em seu pronunciamento, Schünke também lembrou do mais recente reconhecimento nacional pela atuação do Instituto: o Prêmio Brasil Amigo da Criança, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. “Lá ouvimos da ministra Damares Alves que todos aqueles que atuam em favor das crianças e adolescente são heróis. Aqui, todos os envolvidos, equipe do Instituto e parceiros, trabalham para oferecer oportunidade aos adolescentes, sendo heróis”, comentou. E finalizou aconselhando os jovens a permanecerem no caminho das responsabilidades, o mais estreito, e a terem fé. “Só se alcança um objetivo acreditando. E vocês têm tudo para alcançar o sucesso e serem líderes.”

QUASE 600 – Com essa certificação, o Instituto alcança a marca de 596 jovens formados no curso “Empreendedorismo em Agricultura Polivalente – Gestão Rural” desde que foi lançado, em 2015. Para 2022, sete novas turmas estão confirmadas e abrangerão mais de 150 jovens nos municípios gaúchos de Canguçu, Cerro Branco, Paraíso do Sul, Passo do Sobrado, Progresso, Rio Pardo e São Lourenço do Sul.

CLIQUE E ASSISTA AQUI A CERIMÔNIA DE FORMATURA

QUEM SÃO OS CERTIFICADOS EM GESTÃO RURAL 2021
Turma de Boqueirão do Leão (educadora Débora Berghahn – curso desenvolvido nas dependências da Escola Municipal Marino da Silva Gravina, em Alto Boqueirão)
Alessandro Andreoli de Almeida, de Sinimbuzinho;
Daniela dos Santos Bueno, do Centro;
Érick Ferreira de Almeida, de São Roque;
Franciele Inês Vettorazzi, de Vila Nova;
Janaina de Oliveira, de Sete Léguas;
Joceany Fatima Bassedone de Oliveira, de Alto Boqueirão;
Ketlin Jaine Padichello da Costa, da Colônia Picoli;
Maria Luisa Severgnini, do Centro;
Matheus Pappen, de Quatro Léguas;
Nedio Vedoy Grasel, de Alto Boqueirão;
Rainara Tieline Godoy, do Centro;
Raíssa Andreoli de Almeida, de Sinimbuzinho;
Taís Alessandra de Moraes, do Centro;
Valentin Carlesso, de Vila Nova;
Vanessa dos Santos, de Matão.

Turma de Canguçu (educador Adriano Emmel – atividades na Escola Municipal Carlos Soares da Silveira, no distrito de Nova Gonçalves)
Ana Paula Brauch Karnopp, da Estância da Figueira;
Alisson Zarnott Rutz, de Nova Gonçalves;
Andrei Römer Buchweitz, de Nova Gonçalves;
Andrine Rehbein Konrado, de Nova Gonçalves;
Camila Schellin Goldbeck, da Estância da Figueira;
Chaiane Römer Völz, de Nova Gonçalves;
Darlan Krumreich Kern, da Estância da Figueira;
Déric Lemke Wenske, de Nova Gonçalves;
Dienifer Volter Behling, de Nova Gonçalves;
Edilson Karnopp Westphall, da Estância da Figueira;
Eduarda Böhlke Zarnott, do Herval;
Eric de Quevedo Muller, de Nova Gonçalves;
Felipe Elert Bohm, de Nova Gonçalves;
Felipe Westphal Blöndorn, da Estância da Figueira;
Gustavo Drawanz Rutz, de Nova Gonçalves;
Kamili Natâni Viebrantz Konrado, de Nova Gonçalves;
Larissa Brauch Radtke, de Nova Gonçalves;
Natália Sell Klug, do Herval;
Roberto Ramzen Degar, da Estância da Figueira;
Taissa Beiersdorff Böhlke, de Nova Gonçalves;
Tális Rian da Fonseca Völz, de Iguatemi;
Tiago Schumacker Bierhals, da Estância da Figueira;
Vitória Goulart Thurow, de Nova Gonçalves.

Turma de Cerro Branco (educador André Tiago Skolaude – curso ocorreu na Escola Municipal Augusto Schultz, em Arroio Bonito)
Alehandro José da Rosa, da Linha Pfeiffer;
Alex Zimmann, de Serrarria Scheidt;
Álisson Elesbão da Silva, da Linha São Luiz;
Andrei Roberto Beskow, do Centro;
Cauã Júnior Rodrigues Weide, da Linha Santo Antônio;
Diogo de Oliveira, de Serraria Scheidt;
Dyúli Emanuéli Rodrigues, do Bairro Rio Branco;
Felipe Eduardo Lange, da Linha São Luiz;
Fernanda Schilling Jaeger, de Serraria Scheidt;
Franklin Guilherme Pape, do Bairro Rio Branco,
Gean Ricardo Treichel, da Linha Pfeiffer;
Graziéli de Souza Rodrigues, da Linha São Luiz;
Isaquiela Rosélia Silva da Rosa, da Linha Garske;
Juliélisson Pfeifer Braatz, da Linha Schultz;
Kauã Gabriel Linhar, de Alto Cerro Branco;
Késia Taíssa Pfaff Milbradt, da Linha São Luiz;
Leonara Rodrigues de Souza, da Linha Santo Antônio;
Maitiéle Camile Staffen do Nascimento, de Rincão Bonito;
Rita Cássia do Carmo Machado, da Linha São Luiz;
VinÍcius Wagner Rodrigues, da Linha Santo Antônio;
Wagner Santos Müller, de Alto Cerro Branco.

Turma de Passo do Sobrado (educadora Taciane Lais da Silva Velazquez – curso ocorreu nas dependências da Secretaria Municipal de Educação)
Aliel Santos, d Capela dos Cunha;
Camilli Vitória da Rosa, de Campo do Sobrado;
Carlos Daniel Teixeira Linhares, do Centro;
Daniel da Silva Vedoy, de Taquari Mirim;
Erica Vitória dos Santos Linhares, de Passo da Mangueira;
Gabriel Felipe Kappaun, de Rincão do Sobrado;
Gabriel Linhares da Silva, do Centro;
Gabrielly Monique da Silva, de Passo da Mangueira;
Jainara da Rosa, de Taquari Mirim;
Juliana de Godoy, do Corredor dos Rosa;
Kauã da Silva Farias, de Taquari Mirim;
Maiton Henrique Linhares da Silva, de Passo da Mangueira;
Mirian Kauany Silveira Lopes, de Passo da Mangueira;
Rafaela dos Santos Silva, de Passo da Mangueira;
Raíssa Oliveira de Mello, de Rincão dos Haas;
Thainá Silva de Oliveira, do Centro;
Uellen Machado Linhares, de Passo da Mangueira;
Wiliam Rafael Baierle, de Rincão dos Haas.

Turma de Santa Cruz do Sul (educadora Débora Berghahnn – curso na Escola Municipal Felipe Becker, em Alto Paredão)
Angelica da Silva Machado, de Alto Paredão;
Camily Vitoria Ferreira, de São Nicolau;
Eduardo da Silva, de Alto Paredão;
Emely Allana Graff, de São Nicolau;
Haissa Mariano Watte, de Alto Paredão;
Josueli Tainara Back, de São Nicolau;
Luís Ricardo Greine, de São Nicolau;
Patrícia Grasel, de São Nicolau;
Samira Barbon Rodrigues, de São Nicolau;
Volnei Willi de Queiroz, da Comunidade São Luís.

Turma de Sinimbu (educadora Ana Paula Justen – curso nas dependências da Escola Municipal Nossa Senhora da Glória)
Alisson Luís Moraes Oliveira, de Linha da Serra;
Cristieli Tais Pereira, de Salto Rio Pardinho;
Deivid Wíliam Dorfei, de Alto Sinimbu;
Delise Marilete Muller, de Linha Primavera;
Diego Francisco, de Linha Verão;
Diessica Élem da Rocha, de Linha Inverno;
Diogo Luan Goldschmidt, de Linha Paredão Felipe Nery;
Eduardo Vogt, de Sinimbu Baixo;
Ezequiel Vicente, de Linha Paredão Felipe Nery;
Giovane de Lima, de Linha Verão;
Grasiela Fernanda Drumm, de Paredão São Pedro;
Jean Geovan Dorfey, de Linha Paredão;
Letícia dos Santos Silveira, de Linha Verão;
Tanúbia Hochscheidt, de Linha da Serra;
Wolker Elias Eifert, de Linha Rio Branco.

Turma de Herveiras (educadora Tagiani Brizolla Duarte de Moura Goulart – atividades na Escola Municipal General Osório, em Herval São João)
Adrian da Silva Oliveira, de Linha Pinhal;
Bruno Henrique Volz, de Linha Fernandes;
Daniel da Silveira Werner, de Linha Herval São João;
Daniela Cristina Scherer Eifert, de Linha Marcones;
Diogo Gabriel Fernandes, do Centro;
Eric Henrique Mendonça Alves, de Alto Marcones;
Gabriel Tavares Freire, de Linha Pinhal;
João Vitor Machado de Castro, do Centro;
Julia Luisa Ribeiro Padilha, de São João;
Katianny Tatsch, de Linha Fernandes;
Kauana Patricia Rodrigues Jost, de Linha Fernandes;
Letícia Maiara Scherer, de Linha Herval São João;
Letícia Tatiane dos Santos, de Alto Marcones;
Luís Fernando Metzger, de Linha Herval São João;
Makerlin de Souza Nunes, de Linha Fernandes;
Michele de Souza Schieferdecker, de Linha Biriva;
Pedro Henrique Vieira, de Linha Fernandes;
Samuel Daniel Mueller, de Alto Marcones;
Tatiele dos Santos, de Linha Fernandes;
Tiago Felipe Furtado Mira, de São João.

O que disseram os representantes das turmas
Raissa Andreoli de Almeida, de Boqueirão do Leão
“Esta é uma das muitas vitórias que ainda estão por vir. Aprendemos a importância do trabalho em equipe, compartilhamos experiências e tivemos a oportunidade de conhecer parceiros e entidades e de aprender que não basta apenas sonhar. Persistir nos faz ir além.”

Taissa Beiersdorff Böhlke, de Canguçu
“Somos 23 jovens diferentes, mas com muita coisa em comum. Aprendemos que as regras são para serem respeitadas e que devemos ser solidários uns com os outros. A pandemia nos surpreendeu e abriu nossos olhos para o que é importante. Cada aprendizado se fará presente na nossa caminhada daqui para a frente.”

Maitiele Camile Staffen do Nascimento, de Cerro Branco
“Os últimos dois anos foram de muitos aprendizados. Tivemos dois anos intensos, repletos de vivências importantes. Todas essas aprendizagens, com certeza, levaremos para a vida toda. Com a formatura, concluímos uma etapa muito importante e agora sabemos que basta olhar para o vasto horizonte para perceber as oportunidades existentes.”

Jainara da Rosa, de Passo do Sobrado
“Foram atividades que nos fizeram aprender muito. Apresentamos trabalhos e vimos os colegas apresentar seus projetos. As saídas pedagógicas, como Rincão Gaia e Museu da PUC trouxeram conhecimentos. Juntos, fizemos nosso projeto comunitário, que ficou incrível. Vamos carregar para sempre um pouquinho de cada aprendiz.”

Camily Vitória Ferreira, de Santa Cruz do Sul
“Concluímos mais uma etapa das nossas vidas. Uma etapa importante, graças à oportunidade de fazermos parte do Instituto Crescer Legal. Descobrimos coisas sobre nossas comunidades e pudemos conhecer melhor as nossas propriedades. Passamos por alguns desafios, vencidos com esforço, planejamento o e foco. E, com isso, aprendemos.”

Diessica Élem da Rocha, de Sinimbu
“Queremos agradecer a toda a equipe do Instituto. Adorei fazer parte dessa turma e ser jovem aprendiz. O tempo passou rápido, mas é preciso deixar outros adolescentes terem essa experiência. O curso foi uma grande motivação na minha vida e na vida de todos os meus colegas.”

Leticia Tatiane da Silva, de Herveiras
“Este ano foi atípico para todos nós e chegamos à tão esperada formatura. Este momento nos remete a lembranças do passado, desde o início do curso que proporcionou tantos aprendizados.”

O INSTITUTO CRESCER LEGAL – Iniciativa do Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco) e suas empresas associadas, que tem entre suas ações o Programa de Aprendizagem Profissional Rural, pioneiro por proporcionar uma forma inovadora de aplicação da Lei de Aprendizagem em favor dos jovens do campo. Eles recebem salário proporcional e, ao invés de trabalharem nas empresas, participam do curso de gestão e empreendedorismo. Para alcançar esse objetivo, o Instituto desenvolve o Programa de Aprendizagem Profissional Rural, que já foi implementado em 11 municípios e possui a validação do Ministério do Trabalho, construída por meio do engajamento junto ao Fórum Gaúcho de Aprendizagem Profissional. E, para viabilizar o atendimento dos adolescentes nas comunidades onde vivem, conta com parcerias com os municípios para a oferta de espaço físico, alimentação e logística de transporte diário.

CLIQUE AQUI PARA BAIXAR AS FOTOS
Fotos: Junio Nunes

Contato com a imprensa:
MSLGROUP Andreoli
Arthur Ianhez – arthur.ianhez@mslgroup.com – (11) 3169-9300 / (11) 97375-2413
Cristina Severgnini – cristina.severgnini@mslgroup.com – (51) 3713-1777 / (51) 99943 5666
Eliana Stülp Kroth – eliana.stulp@mslgroup.com – (51) 3713-1777
Thais Thomaz – thais.thomaz@mslgroup.com – (11) 3169-9373 / (11) 98904-1366
www.mslgroupandreoli.com.br