22 | OUT . 2021

Releases

Programa pioneiro em logística reversa de embalagens de agrotóxicos completa 21 anos de atuação

O Programa de Recebimento de Embalagens Vazias de Agrotóxicos completa 21 anos neste sábado, 23 de outubro. A ação do setor do tabaco ao enviar caminhões e equipes especializadas a localidades rurais para a coleta dos recipientes dos produtos usados nas propriedades rurais antecede a legislação sobre o tema. Isso porque, dois anos antes do Decreto 4.074 - que no Artigo 53 determinou que os usuários de agrotóxicos e afins efetuassem a devolução das embalagens - o setor já realizava a coleta dos recipientes vazios. Criado no ano 2000 como um projeto piloto para a destinação adequada das embalagens, o programa teve sua primeira ação realizada dia 23 de outubro no distrito de Rio Pardinho, interior de Santa Cruz do Sul (RS). Logo, o programa conduzido pelo Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco) e empresas associadas, em parceria com a Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), estendeu sua cobertura para novos locais e ampliou a abrangência para as demais regiões produtoras de tabaco do Rio Grande do Sul. Consolidado no território gaúcho, o programa foi estendido também para Santa Catarina a partir de agosto de 2004. Atualmente, 113 mil produtores de tabaco são atendidos pela coleta itinerante que percorre em torno de 1,8 mil pontos de recebimento no meio rural. São 10 roteiros que abrangem 395 municípios gaúchos e catarinenses. Em 21 anos, o Programa já possibilitou a coleta de 17,7 milhões de unidades e o envio das mesmas para o destino correto. Porém, o grande número de recipientes já recebidos pelo Programa não pode ser associado somente ao tabaco, pois, como os produtores são diversificados, também são recebidas as embalagens usadas nas demais culturas por eles desenvolvidas. Ao lembrar que diversas pesquisas comprovam que o tabaco está entre as culturas agrícolas que menos utilizam agrotóxicos (apenas 1,01 quilo de ingrediente ativo por hectare), o presidente de SindiTabaco, Iro Schünke, explica os objetivos da ação. “Ao proporcionar a correta destinação, a iniciativa contribui com a preservação do meio ambiente e a proteção da saúde e segurança dos produtores e de suas famílias”, diz o executivo. “Como trabalhamos pela sustentabilidade de toda a cadeia produtiva, a coleta de embalagens é uma das práticas que beneficiam o setor como um todo”, acrescenta. E o coordenador do Programa de Recebimento de Embalagens, Carlos Sehn, explica que o recebimento das embalagens segue um cronograma previamente estabelecido e amplamente divulgado pelos veículos de comunicação, bem como pelos orientadores agrícolas das empresas associadas ao SindiTabaco. “Os produtores recebem convites individuais informando data, horário e local da coleta itinerante em suas comunidades”, relata. “Ao entregarem as embalagens tríplice lavadas, eles ganham recibos, que são fundamentais para apresentação aos órgãos de fiscalização ambiental”, acrescenta. REFERÊNCIA MUNDIAL Como os produtores são orientados a fazerem a tríplice lavagem, o programa do setor do tabaco possibilita um alto índice de reciclagem. As embalagens recebidas são encaminhadas para as centrais do Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (inPEV), gestor do Sistema Campo Limpo. Segundo o gerente de logística do inpEV, Mario Fujii, tudo o que é recebido pelas unidades do Sistema Campo Limpo passa, inicialmente, por uma etapa de classificação, com separação por tipo de material e entre as lavadas e não lavadas. “As embalagens plásticas corretamente lavadas são prensadas nas centrais de recebimento, transformadas em fardos e encaminhadas para reciclagem”, conta. “Podem ser transformadas em vários artefatos, como conduítes, dutos, drenos e conexões e tubos para esgoto, ou em novas embalagens e tampas de agroquímicos”, explica. Pela excelência apresentada nos programas de recebimento e incentivo à reciclagem, o Brasil é modelo para o mundo em destinação ambientalmente correta de embalagens plásticas de defensivos agrícolas. Os últimos dados disponíveis indicam que o Brasil está à frente de outros países com programas semelhantes, como França, que recicla 77%; Canadá, 73%; e Estados Unidos, 33%.  “Do total recebido pelo Sistema Campo Limpo, 93% é reciclado e 7% incinerado”, explica Fujii. “Com esses índices tão positivos, o Brasil é referência mundial e exemplo para outros setores”, salienta. PARA LEMBRAR  - No Paraná, ações de recebimento de embalagens são apoiadas pelas indústrias de tabaco. - Os produtores são orientados a devolverem as embalagens tríplice lavadas, perfuradas e com as tampas removidas e entregues junto com os recipientes. Essas atitudes aumentam as chances de reciclagem. -  O Programa conduzido pelo SindiTabaco, empresas associadas e com apoio da Afubra, tem participação significativa nos resultados do Programa Campo Limpo, que, desde 2002 (quando começou a funcionar), já possibilitou o destino correto, no Brasil, a mais de 630 mil toneladas de embalagens vazias. Para fotos em alta resolução, clique AQUI. (Crédito fotos: Junio Nunes) Saiba mais sobre o Programa de Recebimento de Embalagens Vazias de Agrotóxicos, clicando AQUI. Contato com a imprensa: MSLGROUP Andreoli Arthur Ianhez - arthur.ianhez@mslgroup.com - (11) 3169-9300 / (11) 97375-2413 Cristina Severgnini – cristina.severgnini@mslgroup.com - (51) 3713-1777 / (51) 99943 5666 Eliana Stülp Kroth - eliana.stulp@mslgroup.com - (51) 3713-1777 Thais Thomaz - thais.thomaz@mslgroup.com - (11) 3169-9373 / (11) 98904-1366 www.mslgroupandreoli.com.br

21 | OUT . 2021

Releases

Iro Schünke é reeleito diretor presidente do Instituto Crescer Legal

OUTUBRO 2021 – Inicia nesta sexta-feira, 22 de outubro, mais uma gestão de Iro Schünke como diretor presidente do Instituto Crescer Legal. A nova diretoria foi eleita por unanimidade dos presentes em assembleia de associados ocorrida dia 13 de outubro para a gestão que irá até 21 de outubro de 2024. Fazem parte também Paulo Cezar Favero, como diretor vice-presidente; Sergio Francisco Rauber, como diretor administrativo; e Flávio Lucas Goettert, como diretor financeiro. O Conselho Fiscal é presidido por Benício Albano Werner e tem Valmor Thesing e Wilson Klemann como conselheiros e Lucas Sartori e Carlos Alberto Sehn, como suplentes. Já o Conselho Consultivo tem Nestor Raschen como presidente, e Adalberto Sidnei Huve, Carmen Lúcia de Lima Helfer, Deise Silene Ziebell Kanitz, Leila Cristina Wünsch, Marines Nelsi Kittel e Nelza Lau, como conselheiros. Para Iro Schünke – que inicia sua terceira gestão e preside o Instituto desde a fundação – os próximos três anos devem ser de ampliação das ações e da área de atuação. “Vamos continuar dando oportunidade aos jovens do campo para que possam continuar expandindo seus horizontes através dos programas oferecidos pelo Instituto Crescer Legal”, salienta. “Com o trabalho já consolidado, queremos atender ainda melhor os jovens beneficiados por um modelo de aprendizagem profissional rural, que foi inovador e é referência dentro e fora do Brasil”, acrescenta Schünke. Na caminhada do Instituto, que vem desde 2015, já foi alcançada a aprovação das comunidades atingidas e de diversos segmentos da sociedade. Uma demonstração de reconhecimento foi a obtenção da homenagem na 17ª edição do Prêmio Innovare, em 2020. O Programa de Aprendizagem Profissional Rural foi homenageado na Categoria Justiça e Cidadania entre 646 inscritos em 12 categorias. “Este reconhecimento, além de ser uma honra, nos mostra que estamos trilhando o caminho certo”, comenta Iro Schünke. Conforme o executivo, a nominata da diretoria do Instituto conta com personalidades reconhecidamente comprometidas com as causas da educação e do combate ao trabalho infantil, além de representantes das empresas associadas ao Instituto e ao Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco). As empresas de tabaco têm papel fundamental no Instituto, pois, além de mantê-lo financeiramente, contratam os jovens aprendizes que participam do Programa de Aprendizagem Profissional focado em gestão e empreendedorismo no meio rural, sem prática nas empresas. GESTÃO 2021-2024 DIRETORIA Diretor presidente: Iro Schünke Diretor vice-presidente: Paulo Cezar Favero Diretor administrativo: Sergio Francisco Rauber Diretor financeiro: Flávio Lucas Goettert CONSELHO FISCAL Benício Albano Werner (presidente) Valmor Thesing e Wilson Klemann (conselheiros) Lucas Sartori e Carlos Alberto Sehn (suplentes) CONSELHO CONSULTIVO Nestor Raschen (presidente) Adalberto Sidnei Huve, Carmen Lúcia de Lima Helfer, Deise Silene Ziebell Kanitz, Leila Cristina Wünsch, Marines Nelsi Kittel e Nelza Lau (conselheiros). Para baixar a foto em alta resolução, clique AQUI. Contato com a imprensa: MSLGROUP Andreoli Arthur Ianhez - arthur.ianhez@mslgroup.com - (11) 3169-9300 / (11) 97375-2413 Cristina Severgnini – cristina.severgnini@mslgroup.com - (51) 3713-1777 / (51) 99943 5666 Eliana Stülp Kroth - eliana.stulp@mslgroup.com - (51) 3713-1777 Thais Thomaz - thais.thomaz@mslgroup.com - (11) 3169-9373 / (11) 98904-1366 www.mslgroupandreoli.com.br

19 | OUT . 2021

Releases

Abertura da Colheita será no Dia do Produtor de Tabaco

A Abertura da Colheita do Tabaco no Rio Grande do Sul será realizada no dia 28 de outubro, data que coincide com a celebração do Dia do Produtor de Tabaco. A programação terá início às 14 horas e será realizada na propriedade do produtor Oladi Lucio Schröeder, na localidade de Faxinal de Dentro, em Vale do Sol. Promovida pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (SEAPDR), a festividade é um evento oficial do governo gaúcho e sua realização conta com o apoio do Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco) e da associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra). A programação contará com a presença de autoridades regionais e estaduais, além de representantes de órgãos governamentais e de entidades ligadas ao setor. Os participantes do evento presencial deverão seguir os protocolos de distanciamento em função da pandemia da Covid-19, que ainda persiste.  Além da cerimônia de abertura da colheita e celebração do Dia do Produtor, o ato contará também com a assinatura do termo de cooperação técnica do Programa Milho, Feijão e Pastagens após a Colheita do Tabaco, que, no Rio Grande do Sul, é realizado em parceria com o governo gaúcho, através da Secretaria da Agricultura. Esse programa de diversificação, além do SindiTabaco, Afubra e SEAPDR, tem também a participação da Emater, Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetag-RS) e Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul (Farsul). VALE DO SOL – Anfitrião da Abertura da Colheita deste ano, Vale do Sol é um dos 206 municípios gaúchos produtores de tabaco. Com 12.373 toneladas produzidas, é o quinto município no ranking gaúcho da produção de tabaco da safra 2020/2021 e o nono no ranking nacional. Os 2.556 produtores vale-solenses cultivaram 5.277 hectares e obtiveram a produção média de 2.345 quilos por hectare. Contato com a imprensa: MSLGROUP Andreoli Arthur Ianhez - arthur.ianhez@mslgroup.com - (11) 3169-9300 / (11) 97375-2413 Cristina Severgnini – cristina.severgnini@mslgroup.com - (51) 3713-1777 / (51) 99943 5666 Eliana Stülp Kroth - eliana.stulp@mslgroup.com - (51) 3713-1777 Thais Thomaz - thais.thomaz@mslgroup.com - (11) 3169-9373 / (11) 98904-1366 www.mslgroupandreoli.com.br

15 | OUT . 2021

Releases

SindiTabaco recebe Comenda do Comando Ambiental da Brigada Militar

Outubro 2021 - O presidente do Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco), Iro Schünke, e o assessor de Relações Institucionais da entidade, Sérgio Rauber, receberam nesta quinta-feira, 14 de outubro, a Comenda do Comando Ambiental da Brigada Militar (CABM). Eles estiveram entre os agraciados da homenagem direcionada a pessoas que são singulares à causa ambiental.  A distinção foi concedida pelo comandante do Comando Ambiental, o tenente-coronel Vladimir Luís Silva da Rosa, em cerimônia ocorrida em Porto Alegre. Na ocasião, ao falar da atuação do Comando Ambiental, o tenente-coronel enfatizou a importância das entidades e instituições que são parceiras das ações da Brigada Militar em favor do meio ambiente.  Conforme Iro Schünke, o recebimento da Comenda da Brigada Militar é mais um incentivo para a continuidade das ações do setor na promoção da preservação do meio ambiente. “O reconhecimento significa que estamos no caminho certo e nos motiva a avançar cada vez mais”, comenta o executivo. O SindiTabaco realiza diversos programas ambientais e apoia iniciativas da comunidade que visam a preservação e recuperação dos recursos naturais.  Entre as atividades do setor, está o incentivo ao plantio de espécies florestais energéticas visando a proteção da mata nativa. O fomento ao cultivo de eucaliptos tornou os produtores autossustentáveis em lenha para a cura do tabaco e, atualmente, 25% da área das propriedades produtoras é coberta por florestas. Além disso, através do projeto Ações pela Sustentabilidade Energética, em parceria com a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), novos conhecimentos estão sendo colocados a serviço do bom desempenho das florestas energéticas.  Outra ação do setor foi a redução no uso de agrotóxicos na cultura do tabaco. Com altos investimentos em pesquisa e desenvolvimento de produtos mais eficientes e de técnicas de cultivo mais apropriadas, houve redução na quantidade de defensivos usados, chegando-se a apenas 1,01 quilo de ingrediente ativo por hectare de lavoura. Atualmente, o tabaco está entre as culturas comerciais agrícolas com menor utilização de agrotóxicos, condição comprovada por diversas pesquisas, como o estudo da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (Esalq/USP) e dados do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Vegetal (Sindiveg). O setor é também pioneiro em logística reversa. Através do Programa de Recebimento de Embalagens Vazias de Agrotóxicos, há 21 anos é realizada a coleta itinerante dos recipientes usados nas propriedades produtoras. Atualmente são cerca de 1,8 mil pontos em 395 municípios do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, beneficiando 113 mil produtores rurais. Há ainda ações pela preservação do solo e água, como o incentivo ao uso de práticas conservacionistas. Dessa forma, nos últimos 13 anos a aplicação do plantio direto e cultivo mínimo subiu de 17% para 76% e o plantio convencional reduziu de 83% para 24%.  A COMENDA – A Comenda do Comando Ambiental da Brigada Militar visa homenagear personalidades, órgãos e entidades públicas e privadas que se distinguiram por suas relevantes contribuições prestadas ao Comando Ambiental da BM. Em 2021, para evitar aglomerações, foram realizadas seis cerimônias em datas diferentes.  Foto: Sérgio Rauber, o tenente-coronel Vladimir Luís Silva da Rosa e Iro Schünke Contato com a imprensa: MSLGROUP Andreoli Arthur Ianhez - arthur.ianhez@mslgroup.com - (11) 3169-9300 / (11) 97375-2413 Eliana Stülp Kroth - eliana.stulp@mslgroup.com - (51) 3713-1777 / (51) 9708-5539 Thais Thomaz - thais.thomaz@mslgroup.com - (11) 3169-9373 www.mslgroupandreoli.com.br

30 | SET . 2021

Releases

Setor do tabaco reduz a zero o número de ocorrências de roubos de tabaco cru

Setembro 2021 – A análise e os resultados sobre a segurança no transporte do tabaco da safra 2020/2021 foram apresentados pela comissão de Segurança do Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco) a autoridades da segurança pública, em reunião realizada na sede da entidade, nesta quinta-feira, 30 de setembro. O momento foi de boas notícias, já que o número de roubos de cargas de tabaco cru da última safra foi zero nos três estados do Sul do Brasil: Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Estiveram presentes o delegado Regional de Polícia, Luciano Fernandes Menezes; e o tenente-coronel da Brigada Militar, Giovani Paim Moresco. Ao abrir a reunião, o presidente do SindiTabaco, Iro Schünke, lembrou que os bons resultados se devem à união entre o excelente trabalho dos órgãos de segurança pública e o esforço das indústrias de tabaco em apoio aos transportadores e para agilizar as comunicações de incidências. “A participação dos órgãos de segurança foi de fundamental importância para chegarmos a esses resultados”, comentou o executivo. Na sequência, Juliano Glesse, representando a comissão de segurança do SindiTabaco apresentou os números de roubos de tabaco cru nos últimos três anos, mostrando que em 2019 ocorreram 26 roubos de cargas, em 2020 foram nove ocorrências e em 2021 não foi registrado nenhum caso. Também foram apresentadas as estratégias adotadas pelas indústrias e transportadores para monitorar as cargas, inclusive com a implantação de dispositivos eletrônicos colocados como iscas em fardos de tabaco. Com isso, foi possível haver comunicações aos órgãos de segurança e a recuperação das cargas. Para o delegado Luciano Menezes, a implantação dos sistemas eletrônicos de monitoramento do tabaco e a rápida solução dos últimos casos de roubos de cargas, intimidaram os ladrões. “A notícia se espalha e é um desestímulo para quem planejava roubos de cargas”, comentou. Ele sugeriu seguir com o trabalho feito e ampliar a questão pedagógica direcionada aos transportadores e produtores sobre como agir com segurança. E o tenente-coronel Giovani Moresco complementou que a comunicação rápida das ocorrências faz diferença para a recuperação das cargas. “Em um minuto, conseguimos colocar uma placa de veículo no sistema de alerta de todo o Estado. Então, quanto mais rápida for a informação, melhor”, comenta. Por isso, as autoridades da segurança pública sugeriram criar mecanismos para reduzir ainda mais o tempo de resposta entre a ocorrência e a comunicação. Como planos para a safra 2021/2022, a comissão de segurança apresentou a arte do adesivo ‘Carga segura’ para os caminhões e o projeto de criação de um aplicativo para haver acompanhamento em tempo real e ainda mais rapidez e facilidade na informação e comunicados. Também foi elaborado um novo folder para os transportadores lembrando a importância da continuidade das práticas de transporte seguro que já deram bons resultados. COMO O SETOR CHEGOU A ZERO ROUBOS A redução nos roubos de cargas de tabaco cru se deve ao trabalho realizado nos últimos anos, pelo qual os transportadores passaram a receber orientações sobre segurança e a contar com um canal de atendimento sobre ocorrências ou suspeitas de ataque iminente. Outras estratégias adotadas foram: elaboração do plano para comunicação imediata dos eventos; padronização entre as associadas das regras e boas práticas de segurança para o transporte; desenvolvimento e distribuição do guia de segurança para os transportadores; e mapeamento das zonas críticas para ser entregue às instituições de segurança pública. RECOMENDAÇÕES PARA PREVENÇÃO DE OCORRÊNCIAS  As medidas de prevenção de ocorrências são tema de folder distribuído aos transportadores de tabaco e de insumos agrícolas do Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina. Veja as recomendações. - Assegurar que o veículo esteja devidamente abastecido para evitar paradas não programadas. - Procurar usar postos 24 horas com estacionamento próprio, vigilância e sistema de câmeras de segurança para as paradas. - Evitar a exposição da carga, deixando-a em local protegido e seguro. - Sempre que possível deixar o veículo em local com boa iluminação. - Manter disponíveis e acessíveis os contatos de emergência – Brigada Militar – Polícia Civil e SAMU. - Evitar viajar à noite e não desviar da rota. - Não dar carona a pessoas alheias à operação de transporte de tabaco, inclusive para familiares ou conhecidos. - Não repassar informações a terceiros sobre a carga, rotas e sobre os sistemas de segurança do veículo. - Sempre que possível, viajar em comboio com contato visual permanente, dificultando a ação dos assaltantes. - Se o motorista notar alguma situação suspeita, deve procurar o mais rápido possível parar o veículo em um local movimentado e acionar a polícia. - Lembrete: contatos de emergência: 190 – Brigada Militar; 191 – Policia Rodoviária Federal; 192 – SAMU; 193 – Bombeiros; 197 – Polícia Civil; 198 – Polícia Rodoviária Estadual. Fotos: Divulgação Contato com a imprensa: MSLGROUP Andreoli Arthur Ianhez - arthur.ianhez@mslgroup.com - (11) 3169-9300 / (11) 97375-2413 Cristina Severgnini – cristina.severgnini@mslgroup.com - (51) 3713-1777 / (51) 99943 5666 Eliana Stülp Kroth - eliana.stulp@mslgroup.com - (51) 3713-1777 Thais Thomaz - thais.thomaz@mslgroup.com - (11) 3169-9373 / (11) 98904-1366 www.mslgroupandreoli.com.br

21 | SET . 2021

Releases

Iro Schünke é reeleito presidente do SindiTabaco

Setembro 2021 – Reeleito para o sexto mandato consecutivo, Iro Schünke segue à frente do Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco). A eleição ocorreu no começo de setembro, na sede da entidade, em Santa Cruz do Sul (RS), com chapa única, e elegeu os diretores da gestão 2021-2024. Além de Schünke, a nova diretoria é composta também por: Edenir Gassen, vice-presidente de Secretaria; Flavio Marques Goulart, vice-presidente de Finanças; Valmor Thesing, vice-presidente de Relações Industriais; Roberto Naue, vice-presidente de Assuntos Fiscais; Paulo Cezar Favero, vice-presidente de Produção e Qualidade de Tabaco; e Guatimozin de Oliveira Santos Filho, vice-presidente de Gestão Ambiental e Responsabilidade Social. A nova diretoria será empossada em 22 de outubro. Segundo Iro Schünke, que conduz a entidade desde 2006, a próxima gestão será de continuidade do trabalho que já vem sendo feito na defesa da cadeia produtiva do tabaco. “Trabalhamos todos os temas de interesse comum das nossas associadas com vistas ao fortalecimento da cadeia produtiva como um todo”, diz. “Nossos principais focos são os assuntos regulatórios, a responsabilidade social e ambiental e a visibilidade do setor”, complementa o executivo. Nesse sentido, o Sindicato tem acompanhado todos os assuntos relativos à Convenção-Quadro e encabeçado programas pioneiros nas áreas social e ambiental. Exemplos são o Programa de Recebimento de Embalagens Vazias de Agrotóxicos e o estímulo ao cultivo florestal e ao plantio direto. As ações direcionadas ao trabalho infantil receberam incremento com a fundação do Instituto Crescer Legal, que tem servido para um despertar empreendedor de centenas de adolescentes do meio rural. Além disso, o SindiTabaco fomenta a diversificação rural, através de ações como o Programa Milho, Feijão e Pastagens após a colheita do tabaco. “Nosso trabalho é comunicado de forma transparente e esse é o modelo que buscamos fortalecer e que continuará guiando as nossas atividades em áreas que impactam na vida de quem vive desse importante segmento do agronegócio”, salienta. GESTÃO 2021-2024 DIRETORIA Presidente: Iro Schünke Vice-Presidente de Secretaria: Edenir Gassen Vice-Presidente de Finanças: Flavio Marques Goulart Vice-Presidente de Relações Industriais: Valmor Thesing Vice-Presidente de Assuntos Fiscais: Roberto Naue Vice-Presidente de Produção e Qualidade de Tabaco: Paulo Cezar Favero Vice-Presidente de Gestão Ambiental e Responsabilidade Social: Guatimozin de Oliveira Santos Filho Suplentes: Alcindo Luiz Glesse, Flávio Lucas Goettert, Jorge Guilherme Struecker, Heitor Celso Kipper, Lucas Sartori e Eduardo Ivan Beckemkamp. CONSELHO FISCAL Adelir Legramanti, Oziel Klaus Kohn e Vernei Lamartes Oberbeck Suplentes: Djovane Gass e Eduardo Luis Gressler. DELEGADOS REPRESENTANTES JUNTO ÀS FEDERAÇÕES DAS INDÚSTRIAS Iro Schünke e Edenir Gassen Suplentes: Flavio Marques Goulart e Guatimozin de Oliveira Santos Filho.  SOBRE O SINDITABACO – Para garantir a sustentabilidade do setor e representar os interesses comuns das indústrias de tabaco, foi fundado em 1947, em Santa Cruz do Sul (RS), o Sindicato da Indústria do Fumo, posteriormente denominado Sindicato da Indústria do Tabaco da Região Sul do Brasil – SindiTabaco.  E em 19 de julho de 2010, a entidade estendeu sua base territorial para o Brasil, com exceção dos estados da Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo, passando à denominação de Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco. Foto: Junio Nunes Contato com a imprensa: MSLGROUP Andreoli Arthur Ianhez - arthur.ianhez@mslgroup.com - (11) 3169-9300 / (11) 97375-2413 Eliana Stülp Kroth - eliana.stulp@mslgroup.com - (51) 3713-1777 / (51) 9708-5539 Thais Thomaz - thais.thomaz@mslgroup.com - (11) 3169-9373 www.mslgroupandreoli.com.br

16 | SET . 2021

Releases

Mundo feminino em discussão

Setembro 2021 – Quatro garotas egressas do Programa de Aprendizagem Profissional Rural do Instituto Crescer Legal são as donas das vozes da edição de 2021 do ‘Nós por Elas – A voz feminina do campo’. Desde o início de agosto, elas estão em atividades de pesquisas, sendo parte dos estudos e coleta de informações realizados nas suas comunidades e dois encontros semanais presenciais nos laboratórios de Comunicação da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc). Além do aprendizado das técnicas de elaboração de roteiros e gravações para programas de rádio, há reflexões sobre assuntos ligados à condição feminina no campo e dos jovens que vivem em regiões rurais. Segundo a educadora Maria da Graça Vieira, depois de analisar e refletir sobre realidades das mulheres, as adolescentes optaram por pesquisar três temáticas: a mulher nos espaços de decisão, violência psicológica contra a mulher e a mulher e o envelhecimento. “Os temas foram escolhidos por elas em função de serem atuais e representativos das demandas femininas do campo”, explica. As garotas do Nós por Elas são Hayssa Nathália da Silva Severo, de Sinimbu (RS); Janaina Isabel da Cruz, de Vale do Sol (RS); Luana Schmidt Jochims, de Passo do Sobrado (RS); e Suzan Gabrielle da Mota Thomas, de Vera Cruz (RS). Para elas, o programa representa a abertura para um novo mundo. Além da convivência no espaço de pesquisa e ensino da universidade, elas têm a oportunidade de serem portadoras da voz dos jovens e das mulheres do campo através de boletins de rádio, que são transmitidos em programas de entidades parceiras do Crescer Legal e por plataformas digitais da internet. A jovem Hayssa Nathália da Silva Severo, de 17 anos, já conhecia o Nós por Elas desde 2019, quando foi jovem aprendiz e ouviu pela primeira vez os boletins feitos por egressas de anos anteriores. “Em um dos seminários, foi mostrado como as garotas gravavam lendo um roteiro criado por elas. Sempre me interessei por isso estou muito feliz de fazer parte dos Nós por Elas deste ano”, diz. “Está sendo uma experiência incrível adquirir conhecimento sobre diversas áreas principalmente o da comunicação e assuntos sobre a mulher”, explica. Para Hayssa, estão sendo interessantes as pesquisas sobre a mulher nos espaços de decisão, os diversos tipos de violência, mulheres na política, direitos da mulher e sobre como elas eram tratadas quando não existiam leis de proteção para a mulher. “Uma questão muito importante é que se traz diferentes pontos de vista e diferentes opiniões, pois no nosso grupo, cada menina é de um município”, destaca a jovem. “Além disso, levar esse conhecimento para as comunidades de uma forma simples de entender é importante para que as pessoas fiquem atualizadas e tenham mais conhecimentos e argumentos”, acrescenta. QUINTA EDIÇÃO A edição do Nós por Elas de 2021 terá seu encerramento no final de outubro, com a divulgação dos boletins. Para a gerente do Instituto Crescer Legal, Nádia Fengler Solf, os temas escolhidos pelas meninas são muito interessantes e atuais. “É mais um grupo de destaque que vai gerar conteúdos que impactam, além da vida das próprias participantes, também para tantos outros jovens, mulheres e demais pessoas, especialmente ouvintes das programações de rádio dos nossos parceiros de divulgação dos boletins, que são a Afubra e os sindicatos dos trabalhadores rurais”, diz. Conforme Nádia, a parceria com a Unisc também tem extrema relevância, porque coloca à disposição o conhecimento dos profissionais do curso de comunicação e a estrutura da universidade para preparar as meninas com o aprofundamento de discussões sobre temas que são importantes e, por vezes, sensíveis e pouco abordados. “Assim, é gerado conteúdo de qualidade voltado para as comunidades rurais com vozes de jovens meninas do campo”, acrescenta. “Para nós, é uma satisfação ter mais uma turma e temos certeza que o conteúdo que está sendo produzido vai ser de grande valor”, salienta. PARA LEMBRAR – Desde a criação do programa, já foram realizadas quatro edições (em 2017, 2018, 2019 e 2020), nas quais 32 jovens foram preparadas para serem multiplicadoras de temas sensíveis à realidade feminina no campo. As três primeiras ocorreram dentro da universidade. E em 2020, por causa da pandemia da Covid-19, foi realizada uma edição especial inteiramente on-line. Os boletins de todas as edições anteriores podem ser conferidos no site do Crescer Legal. Clique AQUI e ouça. Fotos: Junio Nunes Contato com a imprensa: MSLGROUP Andreoli Arthur Ianhez - arthur.ianhez@mslgroup.com - (11) 3169-9300 / (11) 97375-2413 Eliana Stülp Kroth - eliana.stulp@mslgroup.com - (51) 3713-1777 / (51) 9708-5539 Thais Thomaz - thais.thomaz@mslgroup.com - (11) 3169-9373 www.mslgroupandreoli.com.br

10 | SET . 2021

Releases

Programa de Recebimento de Embalagens Vazias de Agrotóxicos tem roteiro nos vales do Rio Pardo e Taquari

Setembro 2021 – A ação de logística reversa do setor do tabaco segue com mais um roteiro de recebimento de embalagens vazias de agrotóxicos. Agora chegou a vez de os produtores das regiões dos vales do Rio Pardo e Taquari fazerem a devolução dos recipientes dos produtos usados nas suas propriedades. Na segunda-feira, 13 de setembro, o programa realizado pelo Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco) em parceria com a Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) inicia a coleta itinerante que beneficiará 19 municípios. Serão percorridos 202 pontos de coletas até o dia 1º de novembro. O primeiro município do roteiro será Santa Cruz do Sul, onde 32 localidades rurais serão visitadas de 13 a 16 de setembro. Na sequência, as equipes do programa irão para as áreas de produção de tabaco em Rio Pardo, Pantano Grande, Passo do Sobrado, Vale Verde, General Câmara, Venâncio Aires, Cruzeiro do Sul, Mato Leitão, Santa Clara do Sul, Taquari, Bom Retiro do Sul, Vera Cruz, Vale do Sol, Candelária, Novo Cabrais, Cerro Branco, Caçapava do Sul e Cachoeira do Sul. O coordenador do programa, Carlos Sehn, lembra que o recebimento é realizado seguindo todos os protocolos e recomendações sanitárias por conta da pandemia da Covid-19. “Os produtores devem respeitar as normas, como uso de máscara e o distanciamento na hora da entrega dos recipientes”, observa. Sehn destaca ainda que as embalagens devem estar tríplice lavadas, perfuradas, secas e com as tampas removidas para devolução juntamente com os recipientes. Os produtores participantes recebem comprovantes para apresentação aos órgãos ambientais, atendendo aos preceitos estabelecidos no decreto 4.074/2002. CLIQUE E CONFIRA OS PONTOS DE COLETA DE CADA MUNICÍPIO SAIBA MAIS – Com a marca do pioneirismo em logística reversa, o Programa de Recebimento de Embalagens Vazias de Agrotóxicos foi criado no ano 2000, antecedendo a regulamentação da legislação sobre o tema. Desenvolvido de forma itinerante, atualmente o programa percorre dez roteiros distintos que abrangem todas as regiões produtoras de tabaco do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Em 21 anos de atuação, já foram mais de 17,5 milhões de embalagens corretamente destinadas. Atualmente, 113 mil produtores de tabaco gaúchos e catarinenses são atendidos pela coleta itinerante que percorre cerca de 1,8 mil pontos de recebimento nos dois Estados. No Paraná, iniciativas semelhantes realizadas pelas centrais locais são apoiadas pelas empresas associadas ao SindiTabaco. Os pontos de coleta e respectivas datas e horários estão disponíveis em www.sinditabaco.com.br. Contato com a imprensa: MSLGROUP Andreoli Arthur Ianhez - arthur.ianhez@mslgroup.com - (11) 3169-9300 / (11) 97375-2413 Eliana Stülp Kroth - eliana.stulp@mslgroup.com - (51) 3713-1777 / (51) 9708-5539 Thais Thomaz - thais.thomaz@mslgroup.com - (11) 3169-9373 www.mslgroupandreoli.com.br

17 | AGO . 2021

Releases

Mapa apresenta parecer positivo para embarque do tabaco brasileiro à China

Agosto 2021 – Pelo segundo ano, a pré-inspeção do tabaco, uma das exigências do protocolo bilateral de comércio entre Brasil-China, ocorreu sem a presença dos técnicos da Administração Geral das Alfândegas da República da China (GACC) devido à pandemia. Em acordo com o GACC, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) ficou encarregado da coleta das amostras do produto processado e envio à Central Analítica da Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC) para testes laboratoriais que comprovem a fitossanidade do tabaco brasileiro antes do embarque.   O encerramento oficial das atividades ocorreu na terça-feira, 17 de agosto, por videoconferência, e reuniu representantes do Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco) e empresas exportadoras, do MAPA, dos órgãos estaduais de Defesa e Sanidade Vegetal, da China Tabaco Internacional do Brasil (CTIB) e da UNISC. O presidente do SindiTabaco, Iro Schünke, falou sobre o cenário do mercado brasileiro. “O Brasil tem conseguido manter uma exportação anual em torno de 500 mil toneladas, o que demonstra uma estabilidade no mercado mundial mesmo diante do cenário de pandemia e todos os seus desdobramentos sociais e econômicos. Neste contexto, a China é um dos mais importantes parceiros comerciais”, disse Schünke. O executivo do SindiTabaco também comentou que o MAPA tem prestado um serviço extremamente importante e sempre com muita rapidez nos assuntos que envolvem a cadeia produtiva. Avaliou também a importância de o setor ter se mantido ativo durante a pandemia. “O produtor vendeu o seu produto, as empresas seguiram suas atividades contratando milhares de pessoas, e isso fez com que a economia continuasse girando em centenas de municípios da região Sul”, comentou. A responsável técnica do laboratório da Central Analítica da UNISC, professora Adriana Dupont Schneider, destacou que foram 21 dias de intenso trabalho. “Analisamos 53 lotes, de oito empresas, com o objetivo de atestar a qualidade física do tabaco em relação a nove pragas que fazem parte do acordo entre Brasil e China, sendo dois tipos de ervas-daninhas, seis tipos insetos e um tipo de fungo. Não foram encontradas estruturas viáveis destas pragas quarentenárias, resultado que assegura a qualidade do tabaco a ser exportado para a China”, analisou. Helena Pan Rugeri, superintendente federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Rio Grande do Sul, comemorou os bons resultados. “Conseguimos atingir as exigências da China e neste ano temos o maior volume certificado desde que a missão iniciou. É um trabalho muito forte em um período difícil para todos e ainda mais relevante para o Rio Grande do Sul que concentra importantes divisas com a exportação do tabaco”, disse Rugeri, destacando ainda o trabalho e dedicação permanentes dos auditores fiscais do MAPA. Roque Danieli, auditor fiscal federal agropecuário da Superintendência do MAPA no RS, avaliou a constante evolução da qualidade do tabaco brasileiro analisado. “Durante as inspeções não houve qualquer constatação que pudesse comprometer a qualidade do tabaco, ficando comprovado que os aspectos qualitativos e fitossanitários estão evoluindo a cada ano. Além disso, nas propriedades que temos auditado, não encontramos uso de defensivos que não sejam recomendados para a lavoura do tabaco, o que também é uma conquista da cadeia produtiva e dos treinamentos realizados pelas empresas. Recomendamos a continuidade do trabalho de orientação para a manutenção destes patamares da qualidade física e química do tabaco e de prevenção das pragas quarentenárias”, comentou Danieli. Xinghua Zhou, presidente da China Tabaco Internacional do Brasil (CTIB), agradeceu a colaboração por parte do SindiTabaco, bem como a seriedade do Mapa e UNISC na condução dos trabalhos, e o suporte dos oito fornecedores brasileiros para a China. “Ficamos felizes com a informação de que as inspeções trouxeram resultados positivos. Acredito que a GACC vai gostar dos nossos resultados e esperamos que em 2022 possamos contar novamente com vocês”, disse o executivo. Débora Maria Rodrigues Cruz, chefe da Divisão de Fiscalização do Tratamento Quarentenário do Ministério da Agricultura em Brasília, falou da constante evolução da qualidade e de padrões técnicos e de produção do tabaco brasileiro. “O setor produtivo está de parabéns por ter alcançado esse patamar e continuar buscando uma maior qualidade, especialmente no caso do monitoramento e controle de pragas quarentenárias. O trabalho do SindiTabaco também é importante por aglutinar os atores que participam desta importante etapa. Em nome do departamento de sanidade vegetal parabenizo pelas possibilidades futuras de incrementar esse negócio e de manter esse mercado aberto”, falou no encerramento da atividade. Contato com a imprensa: MSLGROUP Andreoli Arthur Ianhez - arthur.ianhez@mslgroup.com - (11) 3169-9300 / (11) 97375-2413 Eliana Stülp Kroth - eliana.stulp@mslgroup.com - (51) 3713-1777 / (51) 9708-5539 Thais Thomaz - thais.thomaz@mslgroup.com - (11) 3169-9373 www.mslgroupandreoli.com.br